segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Vladimir Putin, 24 anos

Fim da especulação. Dmitri Medvedev, atual presidente da Rússia, abriu mão de disputar a reeleição e propôs que seu mentor e antecessor, o hoje premiê Vladimir Putin, seja o candidato ao cargo nas eleições em 2012. O anúncio ocorreu durante o congresso do partido Rússia Unida, ao qual pertencem.

Apesar das tentativas de se firmar no poder, incluindo o “apoio” das Meninas de Medvedev, prevaleceu a lógica. Desta forma, ele cumpriu o papel ao qual estava destinado desde quando foi indicado por Putin para sucedê-lo: exercer uma espécie de mandato-tampão, como forma de driblar a lei russa que não permitia o terceiro mandato consecutivo para Putin.

Apesar do intervalo de quatro anos de Medvedev no Kremlin, na prática Putin jamais deixou o poder, já que foi “convidado” a exercer a função de primeiro-ministro pelo sucessor – e agora virtual antecessor. Com a oposição fragilizada, a eleição presidencial russa deve ser uma mera formalidade para sacramentar o retorno do ex-espião da KGB ao cargo.

Livre para disputar – e exercer novamente – dois mandatos seguidos, Putin pode chegar à proeza de permanecer no poder até 2024, já que mudanças na Constituição russa ampliaram de quatro para seis anos a duração do mandato presidencial.

Com isso, pode completar nada menos que 24 anos seguidos no poder, iniciado quando assumiu a presidência ainda de forma interina em 31 de dezembro de 1999, no lugar do titular Boris Ieltsin. Já se trata do homem que mais ficou no Kremlin desde Stalin. E misturando elementos stalinistas e cazristas com um culto à imagem que promove como poucos, Putin consolida-se cada vez mais como uma espécie de neo-czar russo. Só falta a coroa. 

Um comentário: