domingo, 4 de janeiro de 2009

Kosovo não tem futuro na Europa, diz presidente sérvio

Apesar de andar meio longe da mídia internacional, a questão do Kosovo continua forte nos Bálcãs. O presidente da Sérvia, Boris Tadić, não acredita que o novo país consiga sobreviver como Estado independente. Para ele, o Kosovo só irá crescer se voltar (ou continuar, na visão dos sérvios) a ser parte da Sérvia. A matéria completa pode ser lida na versão em inglês do site da B92, organização mídia considerada independente na Sérvia.

Tadic está certo quanto a falta de estrutura do Estado kosovar. Sem ajuda internacional, ele não se sustenta em pé por muito tempo. Mas há um detalhe fundamental, que é um dos grandes empecilhos para os sonhos sérvios. Os kosovares não toleram mais o governo de Belgrado e serem minoria na Sérvia. A independência do Kosovo era algo inevitável, que aconteceria de qualquer forma, a curto, médio ou longo prazo. E em fevereiro de 2007, bem ou mal, esse cenário tornou-se realidade. Inevitável e irreversível.

Está aí então mais uma difícil equação a ser resolvida pela comunidade internacional (qie ainda se encontra dividida em relação a independência kosovar) para não quebrar o já delicado equilíbrio dessa região, os Balcãs. O problema é que, provalvelmente essa questão será deixada para segundo plano, a não ser que ocorra algo excepcional por ali - um pequeno eufemismo para trágédia.

Um comentário:

Leonardo Glavina disse...

É complicada mesma a questão.
Segundo um sérvio que conheci, o estado de Kosovo está servindo como porta de entrada de armas e drogas para a UE.

Mas ainda acredito que com um pouco de investimento no país ele crescera, economica e politicamente.